terça-feira, 18 de outubro de 2016

Os três mistérios

Vida, morte e amor
Ninguém consegue definir esses três mistérios. Será que é bom que fique assim pra sempre?
Se nos fosse revelado, ficaríamos felizes? Como reagiríamos?
O amor que deveria curar, quando é incompreendido ou não correspondido, só fere. Falta de compreensão da totalidade desse sentimento.
A vida é compreendida e vivida nuns poucos dias, resumindo a uma vida inteira, eu diria horas.
A morte nunca foi bem aceita. Até pra quem acredita em vida após a morte, sofre quando a hora chega, sofre quem fica e quem vai. Todo mundo sofre. Até quando amamos a vida ou quando amamos alguem, sofremos. Às vezes me pergunto se a nossa vida não se resume a aprender sobre a dor. Pode parecer pessimista, mas se soubéssemos lidar com a dor melhor, grande parte da vida seria mais vivida. Se fôssemos completos no amor, na morte e na vida, soubéssemos suas finalidades, talvez agiriamos de outra forma. Por mais que não concordássemos com o propósito, mas é difícil discordar de algo que não se têm a menor idéia do que seja. Se me for revelado em vida qualquer um dos 3 eu juro que me mato. Se sem saber o que são esses mistérios já vivo assim, imagina sabendo.
Talvez seja essa a santíssima trindade dos humanos.
A vida, a morte e o amor, são um só. Não há vida sem morte, nem qualquer um dos dois sem amor. O amor é o que os une. Mas também não há amor sem vida e consequentemente sem morte.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Sem Título

 Me desculpa por não ter compartilhado sua dor,por ter sido insensível no momento de mais sensibilidade.Não fiz por ser egoísta ou por não ligar pra você,não sei porque eu continuo a fazer coisas que nem gosto e nem quero,não consigo me impor,não consigo ser,quem eu quero ser.
 Me sinto tão sozinho que fico tentando fazer parte de grupos,fico por aí fazendo o que não quero fazer e nem assim sou aceito.Talvez as pessoas me aceitem,mas eu não sei,nem com os meus amigos mais próximos eu me sinto aceito, e você acha que o problema é com eles?
Acho que percebi porque as pessoas se entretêm tanto,em dois dias de folga no trabalho,não existi em uma hora sequer do sofá pra cama,da cama pro sofá.Cheio de muita coisa,de saco cheio de muita coisa na verdade,sem vontades,sem sonhos e quando as coisas parecem clarear,eu vejo tudo escuro,não vejo nada.
"Don't you dear give up" canta a Carly no meu ouvido.
Gosto de examinar bastante as pessoas,dissecá-las,julgá-las e absorvê-las,pelo menos eu tento absorver,mas parece que não consigo.Acho sempre um motivo que não me enquadra em nenhum "estilo de humano",de vivência,de ser.Faz um tempo que essa grande cidade tem me assustado,tem me invadido e me feito correr,sair,fugir.É só isso que eu quero na verdade,correr,fugir,de mim.
Viajar,estudar,viver novas coisas  me trazem uma felicidade nunca antes vista,nunca antes sentida,é uma felicidade enorme,que dura fração de segundos,nossa!Como é bom!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

As sem-razões do amor

Carlos Drummond de Andrade


Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Simbiose

  Começa tudo do nada,um domingo inesperado,um papo jogado fora.Passou-se uma semana mas você ainda lembra de todas as palavras ditas,não lembra se foi macarrão ontem na janta,mas achou legal a coleção de pedras não preciosas dela.
  Entre um inverno e outro algumas coisas aconteceram,brigas,saídas,Lições,Sensações e Discos,tudo novo,menos ele e você.
  Você já nem se lembra mais sem ele,tantas memórias,tantos nomes de filhos já estabelecidos,não existe passado nem mesmo futuro em que não estejam juntos.Estão tão juntos quanto o Homem-Aranha e aquele E.T que forma o "Black-Aranha".A mesma sensação boa de sempre.
  De vez em quando,você houve um sininho tocando em sua cabeça,às vezes é aquele sininho do Papai Noel,outras o sino do Coroinha da Igreja,tá que algumas vezes já foi até o sino que indica a hora da missa,um pouco mais barulhento.Mesmo com alguns sinos de missa ao decorrer de tanto tempo,o pior mesmo talvez fosse o sininho pequeno,pequenino imperceptível,igual aquela goteira da pia mal fechada que não era nada,mas depois de um tempo furou a pia.
  Por que então os nossos rios e risos de felicidade não foram suficientes?
  Deve ter sido porque não soubemos esperar e nem ver que a mesma goteira que furou,tava enchendo a bacia embaixo da pia.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Mundo vivo

  Morando sozinho, tendo contas às pagar e a cada dia se sentindo mais preso. Uma prisão mental talvez, como de costume, mas dessa vez o mundo inteiro parece ter invadido a minha vida. É estranho estar com 21 anos e ainda precisar cobrir 20 anos de vida. É como se eu cobrasse o dinheiro de uma pessoa pobre. Não tenho como cobrar do Ryan de anos atrás que aprendesse a tocar violão se não tive essa oportunidade, nem sei se eu queria isso antes pra falar a verdade. O que me mata agora mesmo é sobre o tempo, seja pro que for, pro que eu quero fazer ou para o que Devo fazer. Depois que se torna mais velho tudo que se quer precisa ser simultâneo com o que você precisa fazer. E essa simultaneidade é que atrapalha tudo, atrapalha o buraco que tem em nós e que estamos tentando encher com alguma coisa, fazendo outro buraco.
 
- Temos um mundo pra viver ou o mundo que nos vive ?

Sem querer ser passivo ao mundo, mas já sendo, ele parece ser muito maior que nós. E é de fato em termos geográficos, mas perde pra nós no quesito  não sensorial, por mais que tenhamos muito a aprender sobre ele, nunca saberemos tudo sobre os humanos.
 

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Je,mundo,Linda onça

 Um anagrama com seu nome é perfeito pra começar esse texto.Primeiro que partindo do Eu interior "Je" pro mundo,essa linda onça(é cara você tem Onça no nome) mudou minha maneira de vê-lo com seus novos óculos. Não mudou completamente na verdade,rearranjou e como o fez. Me pego pensando nesse mundo que não enxergava antes e como é bom poder desfrutá-lo com alguém como você. Fico impressionado como o meu lado crítico não veio para te criticar e nem vai vir pelo jeito.
 O seu "pequeno" significa bastante coisa pra mim e a sua maneira de pensar vem pôr à prova o que eu tenho tentado descobrir há um tempo. Uma cabeça conturbada de pensamentos sejam eles longínquos ou não fica em paz quando está próxima de ti.Você é minha Kriptonita ao contrário,emitindo radiação e ao invés de tirar os meus poderes,os limpa e os engrandece.Nesse tempo "todo" que estamos juntos,venho tentado te decifrar,a risada de nervoso ao tentar andar de bicicleta,as tuas tatuagens imaginárias em mim(Amo quando você "escreve" em mim,mesmo não sabendo o que está escrito),o "nigga" com pescocinho e tudo,o cheiro no pescoço,os seus "saiões",esses lindos óculos,a testa franzida quando está sem eles e eu ainda posso falar mais....Ahhh e como esquecer como você zoa o meu curso da Faculdade ? HAHAHA! Ímpossivel não citar as aulas de "Polidance I"  e "Epistemologia do drible".
 Me deixar confuso com os pensamentos também é arte sua,essa confusão "boa" de ficar irritado por nada e ficar "in love" por tudo.O seu "Carpe Diem" vem pra me equilibrar na vida e fazer viver o que tem pra ser vivido,dessas coisas simples que a gente nota as melhores talvez eu tenha deixado ocultas,não porque não tenha descoberto ainda mas sim porque quero fazer muitas homenagens à ti ainda e espero pra poder ser mais concreto nos dizeres."Falo pra você,que você é um sonho bom,que mudou o Tom,da minha vida".

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Filósofo do(a) Guanabara

O que você quer afinal ? Queria mulheres e agora que aparece uma ou outra você foge ? Sexo, amor, companhia ou aventuras? Um só ou tudo misturado? Como de costume um pouquinho de cada. Foi sempre me dito que na vida a demasia só estraga e que o equilíbrio é essencial. Mas como buscar o equilíbrio é difícil para um pessoa instável, é claro que o mar calmo já teve dias de ressaca e são os dias de ressaca definitivos para a calmaria. Nunca amei demais, nunca transei demais,nunca li demais, nunca demais. Isso faz de mim um equilibrado Ou um "não "Bon-vivant "?. Desperdício é a palavra chave quando o assunto é viver. Seja de tempo, energia ou dinheiro,qualquer sentimento de não aproveitar é motivo de arrependimento. Aliás arrependimento é na verdade o que talvez falte na minha vida, uma vida muito certa só serve pra canonizar os santos. Os arrependimentos podem ser quaisquer. Eu poderia me arrepender de doar todo o meu dinheiro e isso não seria em sua totalidade ruim, poderia me arrepender de passar a mão na bunda daquela garota que passou na festa, mas de fato nem tudo seria ruim. Somos todos instigados ao perigo mas podados pelas leis constitucionais e leis "universais" e até certo ponto é de bom grado. Mas eis me aqui vivendo uma falta de vida e o que falta ? O básico eu tenho, uma família, comida todo dia na mesa, nem filé Mignon nem só arroz e feijão e se eu cansar do básico? Dessa vida barata e sem sal. Não consigo ser egoísta o suficiente, às vezes eu queria pensar só em mim,mas qualquer atitude que me envolva,inclui(pra mim) 500 mil quesitos como religião, alma, atitudes certas ou erradas com os outros , deus e vidas passadas. Um perfeito soldadinho de chumbo moldado e inocente. Não sou nenhum tipo de pessoa perversa ou psicótica, tudo tem limite, mas o problema não é tudo ter limite, e sim o contrário. O livre arbítrio e as opções de viver são limitadas a quem se permite limitar. Isso é tão sufocante quanto ter certos "genes" que préestabelecem doenças futuras e aparência física. Você nasceu com esse biotipo, vai ser sempre assim. No fundo sou mais mutável que o rio de Platão, mas é estranho pensar na possibilidade de mudança constante, uma não forma ao mesmo tempo que liberta cria um sentimento de não "pertencimento" de ti e das outras pessoas. Como dizem alguns pensadores "o ser humano precisa ser mandado", a pró atividade é mais idealizada que praticada. Na década da sonolência e preguiça,estar 100% ativo e entregue às tarefas é cada vez mais difícil, consequentemente uma sociedade que valoriza o desleixo vai ter o futuro que merece. Vale ressaltar que parecemos estar cada vez mais com sono e se não estamos é porque nos drogamos . Se nunca estamos ativos ou há um problema com a vida que levamos ou como levamos a vida.